Make your own free website on Tripod.com
Notícias Atuais
Pesquisas
Principal

 

visitas desde 10/outubro/2001

Notícia de 31 de outubro de 2000

Navio italiano com produtos químicos naufraga no Canal da Mancha

Fonte - Globo.com

RENNES, França -- Um cargueiro de bandeira italiana, transportando seis mil toneladas de produtos químicos tóxicos, naufragou no Canal da Mancha, entre a França e a Grã-Bretanha, enquanto estava sendo rebocado para o porto francês de Cherbourg, informaram nesta terça-feira autoridades marítimas francesas.

O Ievoli Sun, cuja tripulação foi resgatada de helicóptero na noite de segunda-feira, começou a afundar 60 quilômetros a oeste de Cherbourg, durante uma travessia entre a Inglaterra e a Itália.

O navio levava a carga para a companhia petrolífera Exxon Mobil. O carregamento inclui quatro mil toneladas de estireno, um hidrocarboneto usado para a fabricação de materiais sintéticos, como o plástico.

Integrantes da tripulação contaram ter visto um buraco no casco, enquanto o navio atravessava o canal em meio a uma forte tempestade, levando o comandante da embarcação a pedir ajuda por rádio.

"Nós esperávamos que o navio conseguisse alcançar Cherbourg, mas não houve condições para isso", disse por sua vez Olivier Lajous, do Serviço Marítimo Nacional, da França.

Um helicóptero e um rebocador foram enviados imediatamente para socorrer os tripulantes.

Um repórter da CNN, Jim Bitterman, que esteve no local do acidente, informou que levaria algum tempo para que as autoridades ambientais pudessem avaliar os danos do naufrágio ao sistema ecológico. Não foi informado, de imediato, se a carga vazou.

O naufrágio ocorre 10 meses depois que o cargueiro Erika afundou no litoral oeste da França, causando um grande desastre ambiental com o vazamento de milhares de toneladas de combustíveis, que chegaram ao litoral.

E o acidente com o navio italiano ocorreu um dia depois que fortes ventos, de até 150 quilômetros por hora, varreram o norte da França e o sul da Inglaterra, matando pelo menos oito pessoas e causando grandes transtornos ao tráfego rodoviário, ferroviário, marítimo e aéreo na região.