Make your own free website on Tripod.com

O custo para os cofres públicos.

Nos últimos cinco anos, o Brasil gastou mais de 550 milhões de reais no tratamento de dependentes de álcool, cigarro e drogas ilícitas. Este número representa apenas os custos com internações nos hospitais públicos e a medicação aplicada nos pacientes viciados, entre 1995 e o começo de 2000. A cifra pode ultrapassar os 800 milhões de reais, quando somados os gastos com as constantes campanhas antidrogas do governo e as atividades das polícias civis e militares no combate à disseminação do tráfico neste mesmo período.

Neste cinco anos, o alcoolismo foi considerado uma das doenças que mais atingem os brasileiros, estando em 4º lugar na lista de doenças que mais incapacitam os trabalhadores, segundo relatório da Previdência Social. Em 1996, o SUS (Sistema Único de Saúde) registrou o número mais alto de casos de cirrose hepática no país, doença causada pelo consumo abusivo de bebidas alcoólicas, estando entre as sete principais causas de morte em pessoas acima de 15 anos. O que mais alarmou as autoridades médicas brasileiras foi o número de jovens internados, em estado grave, por causa da bebida: 39.255, sendo que 3.626 destes doentes morreram.

Segundo o Ministério da Saúde, os transtornos mentais causados pelo abuso de drogas são a segunda causa de internações nos centros psiquiátricos públicos e, nos últimos três anos, também se tornaram uns dos cinco principais tratamentos mais procurados nos hospitais convencionais da rede SUS. Um estudo, realizado pelo governo desde 1993, aponta que o número de internações por distúrbios mentais associados ao consumo de drogas dobrou: em 1993 o governo registrou 5.429 pacientes internados e em 1999 este número passou dos 11 mil. Só no último ano, o Brasil gastou mais de US$ 3 milhões exclusivamente com este problema. Se comparado com o começo da década, o valor gasto triplicou. Em 1993, quando o governo começou a divulgar estes dados, o dinheiro dedicado ficou por volta de US$ 900 mil.

Os problemas causados por fumo também merecem destaque nesta contagem. Segundo dados do Ministério da Saúde, o cigarro é responsável por 85% dos casos de aposentadoria por invalidez no trabalho, 30% dos casos de câncer, 25% dos casos de angina e 25% das doenças cérebro-vasculares. Até hoje o SUS gastou R$ 925.276.196 com o tratamento destes males. (com informações do Ministério da Saúde)

Leia Também
Tratamento
Outras Drogas
Retornar
Principal